Eu não estava ansiosa pelo filme, nunca joguei o game que o originou e o trailer me chamou atenção por dois motivos: Jake Gyllenhaal mais sexy do que nunca e uma trama voltada em viagens no tempo.

Como todo feriado eu vou no cinema e quando cheguei lá a sessão de Robin Hood (é, eu ainda não vi!) já tinha começado, a opção seguinte foi Príncipe da Pérsia, na sua pré-estreia – 03/06.

Sinopse: Príncipe se alia a princesa de um reino rival para impedir que um tirano maléfico lance uma tempestade de areia capaz de destruir o mundo.

Essa sinopse é tão profunda que me faz suspirar. Vamos lá:

“Dastan era um garoto de rua quando o Rei o adotou e o tornou um príncipe da Pérsia ao lado de seus dois filhos biológicos. Anos depois, após uma invasão a cidade sagrada de Alamut e a captura da princesa Tamina, o Rei é morto por uma túnica envenenada que Dastan o presenteou. Incriminado pelo assassinato do pai, ele foge ao lado da princesa Tamina – que só está interessada na adaga misteriosa que Dastan encontrou ao invadir a cidade. A adaga se revela um instrumento mágico que possui o poder de voltar no tempo e Dastan pensa que seu irmão tramou para que ele fosse acusado da morte do Rei e vai atrás de seu tio, Nizam para provar sua inocência mostrando-lhe o que a adaga é capaz de fazer e porque seu irmão estava atrás dela”

Acho que agora está um pouco melhor, mas ainda sim não explica o suficiente (e eu nem tentarei falar, porque quero uma resenha livre de spoilers). Mas quando Dastan consegue falar com Nizam, percebe que na realidade ele é o culpado da morte do Rei – seu próprio irmão – e que pretende usar a adaga para voltar até o dia em que salvou seu irmão e não salvá-lo, mas deixá-lo morrer para que ele se torne o Rei.

Confuso? Não, não. Há mais história por aí. A princesa Tamina é a guardiã da adaga e não pode permitir que Nizam a use, indo então até um lugar onde ela ficaria segura.

Do diretor Mike Newell, de Harry Potter e o Cálice de Fogo e do produtor Jerry Bruckheimer, Príncipe da Pérsia têm efeitos visuais incríveis e uma fotografia espetacular. Há alguns furos no roteiro mas nada que realmente atrapalhe o filme, que além de muitas cenas de ação também proporciona risadas e um romance entre Dastan e Tamina.

Como eu queria estar no lugar dela!

Nota Final? 9! Amei, amei, amei. Não é um filme perfeito, mas em breve vai estar na minha coleção e vale às 2h que passamos no cinema.

Anúncios